Como usar uma coleira?

Para que seja um objeto funcional, que garanta segurança no manejo e futura identificação, a coleira necessita ser escolhida corretamente e ser colocada de modo correto.
Para tutores exigentes que acreditam que esse objeto pode incomodar o cão, trazendo algumas alergias e quedas de pêlo na região eu aconselho uma ida a um bom petshop para estudar melhor o assunto. Creio que sua opinião vai mudar assim que descobrir a grande variedade de materiais existentes. Desde as simples coleiras que imitam o couro até as coleiras de silicone, existe material para todos os gostos e exigências, sejam coloridas ou bem discretas. Eu particularmente opto por coleiras de tecido liso, que são confortáveis ao toque, não esquenta e podem ser lavadas com frequência, evitando acúmulo de sujeira e desenvolvimento de alergias. Assim, ao menos uma vez no mês esse acessório fica como novo, lindo e funcional.
Para aqueles que reclamam que a coleira marca o pêlo, há opções de coleiras com as bordas arredondadas para dentro e essa “barriga” nas coleiras evitariam que o material amasse os pêlos da região, marcando o pescoço do animal.
Opções é o que não faltam para atender as especificidades de cada cão e dono, o importante contudo é escolher dentre essas o tamanho correto de coleira, bem como largura.
A coleira não foi feita para abrir ou escorregar do pescoço do seu cão em momentos que vocês mais precisa dela, ela deve ser segura e prática. Para tanto a primeira dica é escolher o tamanho adequado para seu cão e isso você pode encontrar fácil na descrição da peça. Não adianta querer uma coleira bem larga se seu cão for porte pequeno, porque o comprimento vai acompanhar a largura e a coleira ficará folgada. Bem como não adianta querer uma coleira muito fina caso seu cão seja porte gigante, ela vai estourar ao primeiro sinal de contenção que tente fazer com seu cão. É importante que você reconheça que seu pinscher é uma cão pequeno e que seu dog alemão é um cão grande e faça a escolha inicial tendo como base a funcionalidade, não gosto pessoal. Tenho certeza que vai encontrar no tamanho adequado uma coleira que se encaixe no seu gosto também.
Outro ponto é o fecho da coleira, eu tenho preferência ao práticos, de plástico, que além de não enferrujarem, são mais seguros e rápidos de colocar ajustar. Mas isso é opinião pessoal, importante é que você verifique se há estudos de impacto realizados na coleira, para que ela suporte o peso que diz se adequar. Afinal, ela não é um lenço que você amarra no pescoço do seu cão para deixa-lo mais bonito, ela é acessório de segurança. Lembre-se sempre, o barato sairá caro num momento de decisão. Compre uma coleira que não irá te deixar na mão e com isso certamente irá economizar a longo prazo, tendo um acessório que dura mais e falha menos.
Agora, de nada adianta escolher o modelo adequado se não souber como utiliza-lo. Uma coleira não foi feita para enforcar seu cão, muito menos para rodar no pescoço dele. Ela deve ser colocada há um comprimento que sobre espaço para passar dois dedos seus de folga, nada mais ou menos que isso. Claro que um teste drive é sempre uma boa pedida. Há cães de cabeça mais estreita que te darão trabalho para ajustar a coleira, como os galgos, para esses há opções no mercado de maior largura que garantem a anatomia desses pescoços. A coleira não deve sair quando puxada, mas tome o cuidado de deixar uma folga para seu cão “respirar”.
Feito essa escolha, vamos descobrir no próximo tópico outra grande funcionalidade e razão de se utilizar de modo definitivo uma coleira no pescoço de seu melhor amigo.

Related Post